Postagem em destaque

Casamento Real

O Príncipe Harry e a atriz norte-americana Meghan Markle casaram-se neste sábado (19) na Capela de São Jorge, no castelo de Windsor. Co...

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Neymar decide

Melhor em campo mais uma vez, camisa 11 marcou o primeiro gol da vitória por 2 a 0 que garantiu o título inédito da Recopa Sul-Americana ao Peixe. Pênalti perdido não manchou a conquista
Em sua primeira partida pelo Santos após a saída do amigo Paulo Henrique Ganso, Neymar ajudou o clube a conquistar o sexto título em três anos, o segundo no centenário. A vitória por 2 a 0 sobre a Universidad de Chile, nesta quarta-feira, no Pacaembu, rendeu ao Peixe a taça inédita da Recopa Sul-Americana, festejada por pouco mais de 23 mil presentes. Muricy Ramalho surpreendeu e deu ao atacante a faixa de capitão, que era esperada pelo veterano Léo. Um prêmio para o jogador, que já tem também três títulos estaduais, uma Copa do Brasil e uma Libertadores desde que se tornou profissional. É ele o principal responsável pela liderança santista no ranking de clubes da Conmebol. TEMPO REAL: > Confira todos os lances da decisão Campeã da última Copa Sul-Americana, La U não foi páreo para o campeão da Libertadores do ano passado. Sofreu gols de Neymar e Bruno Rodrigo e ainda poderia ter levado mais um se a Joia não perdesse pênalti no primeiro tempo. No empate por 0 a 0 na ida, ele também desperdiçou uma cobrança. Nada que tenha ameaçado seu posto de protagonista. NEYMAR FUTEBOL CLUBE Antes de a bola rolar, a torcida santista exibiu faixas em homenagem a Neymar. Entre outras mensagens, os fanáticos diziam que o camisa 11 é "patrimônio do futebol brasileiro" e "ídolo de todas as crianças". As crianças alvinegras, pelo menos, têm motivos para ficarem felizes por tê-lo como patrimônio do clube. Como de costume, não foi difícil identificar o protagonista da partida. A Joia assustou o goleiro Johnny Herrera logo aos 20 segundos, aplicou um chapéu em Acevedo pouco depois e, como legítimo capitão, berrava do campo de ataque a cada erro de posicionamento dos zagueiros. Mas o futebol do Santos não ajudava. Sem um Ganso para cadenciar o jogo, a equipe sofreu com a velocidade chilena, principalmente nas jogadas do habilidoso Ubilla às costas de Bruno Peres, sempre com a ajuda de Mena ou Lorenzetti. Por ironia, foi Felipe Anderson, que Muricy Ramalho costuma definir como "carregador de bola e não pensador", o coadjuvante mais brilhante. Carregando a bola, ele clareou jogada pela esquerda após lançamento de Léo e passou para Neymar tabelar com André e abrir a contagem, aos 27 minutos. O rival se desestabilizou. Tanto que Patito, em uma de suas poucas boas arrancadas, tomou cotovelada de Rojas, o mesmo que poderia ter sido expulso ao derrubar Neymar (sempre ele) na área, aos 44. Pênalti que o próprio Neymar bateu. Nas mãos de Johnny Herrera. Sem problemas. MURICYBOL Se o primeiro gol saiu em jogada de Neymar, principal arma do Santos, o segundo veio na bola parada que consagrou Muricy Ramalho e até rendeu o apelido pejorativo de Muricybol ao esquema adotado pelo treinador que já coleciona quatro taças no clube. Aos 15 minutos, Felipe Anderson cobrou falta da esquerda e Bruno Rodrigo cabeceou para as redes. "O campeão voltou", gritava a torcida na arquibancada. Uma trégua na insatisfação pela má campanha no Campeonato Brasileiro e pela má formação do elenco para o centenário - afinal, nos melhores sonhos santistas a improvisação de Gerson Magrão como lateral não seria a solução para a contusão sentida por Léo, pouco antes do segundo gol. Mesmo sem ser brilhante, o Peixe sagrou-se campeão sem ter grandes dores de cabeça contra um dos melhores times da América do Sul nos últimos anos. Aos 25 minutos da etapa final, o elogiado Jorge Sampaoli já lançara mão de Castro, Marino e Magalhães nos lugares de Rodríguez, Aranguíz e Acevedo. Nenhum deles foi capaz de atrapalhar o domínio brasileiro. Os gritos em homenagem a Neymar e o tradicional "é campeão!" ecoaram no Estádio Municipal antes dos 40 minutos. E não cessaram até o apito final. FICHA TÉCNICA SANTOS 2 X 0 UNIVERSIDAD DE CHILE Local: Pacaembu, em São Paulo (SP) Data/hora: 26/9/2012 - 19h Árbitro: Martin Vázquez (URU) Auxiliares: M.Espinoza (URU) e M.Nievas (URU) Renda/Público: R$ 651.890 / 22.388 pagantes Cartões Amarelos: Adriano e Durval (SAN); José Rojas, Osvaldo Gonzáles, Martínez e Lorenzetti (LAU) Cartões Vermelhos: Não houve GOLS: Neymar, aos 27'1ºT (1-0); Bruno Rodrigo, aos 15'2ºT (2-0) SANTOS: Rafael, Bruno Peres (Éwerton Páscoa - 26'2ºT), Bruno Rodrigo, Durval e Léo (Gérson Magrão - 7'2ºT); Adriano, Arouca e Felipe Anderson; Patito (Miralles - 39'2ºT), Neymar e André. Técnico: Muricy Ramalho. UNIVERSIDAD DE CHILE: Jhonny Herrera, O.Gonzáles, Acevedo (Magalhães - 26'2ºT) , José Rojas e Mena; Martínez, Rodríguez (Castro - Intervalo), Aranguíz (Marino - Intervalo) e Lorenzetti; Ubilla e Gutiérrez. Técnico: Jorge Sampaoli Leia mais no LANCENET! http://www.lancenet.com.br/santos/Capitao-Neymar-decide-titulo-Santos_0_781122051.html#ixzz27d00uADd © 1997-2012 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

Nenhum comentário:

Postar um comentário