Postagem em destaque

Juninho Pernambucano

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Coerência incoerente


A lista de jogadores selecionados por Mano Menezes para a disputa da Libertadores pelo Corinthians consegue ser, ao mesmo tempo, coerente e incoerente.
Nota-se, nitidamente, que seu empresário, mais uma vez, foi beneficiado.
Única explicação para que o quarto goleiro da equipe, Rafael Santos, seja o reserva imediato de Felipe em um torneio tão importante.
A presença do zagueiro Paulo André, na lista, proporcionará, sem dúvida, fortes emoções ao torcedor corinthiano durante as partidas.
Percebemos, com estranheza, as ausências de Escudero e Balbuena dessa lista.
Jogadores abaixo da média (com salários generosos), que foram contratados sob pretexto da disputa deste torneio.
Das duas, uma.
O dinheiro do clube vem sendo jogado no lixo com a aquisição equivocada dessas duas personalidades ou, na verdade, o interesse era outro, beneficiando apenas aqueles ligados às contratações.


Força Ricardo Gomes !


Desejo, de coração, melhoras ao treinador Ricardo Gomes, vítima de um pequeno AVC no último domingo.
Um treinador da banda boa, raridade nos dias de hoje.
Minha admiração por ele cresceu muito quando passei a freqüentar os bastidores das partidas.
Discreto, humilde e trabalhador, Ricardo Gomes trata a todos com a mesma atenção, sem o estrelismo de muitos, que se acham acima do bem e do mal.

Extinção, cassetete e cadeia


Bandidos das facções criminosas Mancha Verde e Independente aprontaram, novamente, nas cercanias do Parque Antártica.
Além disso, após a partida, depredaram patrimônios por onde passavam e agrediam quem nada tinha a ver com a barbárie.
Muitos deles, garotos entre a adolescência e os 25 anos de idade.
Até quando os pais permitirão que seus filhos façam parte desses antros de marginalidade ?
Quem não sabe que além dessas brigas existe o livre comercio de drogas e de produtos roubados nestes locais ?
Tudo avalizado por vereadores que, em troca de votos, freqüentam os locais e fingem nada ver.
A solução é simples.
Retirem essa gente de suas sedes.
Faça valer o que está na lei, numerando os lugares das partidas, deixando estes covardes sem o escudo da aglomeração.
E, se mesmo assim, insistirem em fazer o que fazem, nas ruas, nada que uma boa dose de cassetete com cadeia não resolvam.