Postagem em destaque

Juninho Pernambucano

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Sting pede liberação da maconha


Em blog, Sting pede liberação da maconha e fim da guerra às drogas

Músico diz que repressão à narcóticos prejudica a sociedade
Da BBC

O cantor britânico Sting defendeu, em um artigo publicado nesta semana num blog, a legalização da maconha e atacou as políticas de combate às drogas nos Estados Unidos.

O texto do ex-líder da banda The Police reforça o lobby pela aprovação, pelo Congresso americano, de um projeto para a descriminalização da maconha.

Para Sting, os Estados Unidos precisam "enfrentar riscos, sair da zona de conforto e explorar novas ideias" para enfrentar "o que tem sido a mais fracassada e injusta, mas ainda assim intocável questão na política: a Guerra às Drogas".

"A Guerra às Drogas fracassou - mas é pior do que isso. Ela está de fato prejudicando a sociedade", argumentou o músico.

"Os crimes violentos prosperam sob as sombras às quais o comércio de drogas foi relegado. As pessoas que genuinamente precisam de ajuda não a conseguem. Nem as pessoas que precisam de maconha medicinal para tratar doenças terríveis."

"Estamos gastando bilhões, enchendo nossas prisões com acusados não violentos e sacrificando nossas liberdades", diz Sting, para quem "as liberdades civis foram atropeladas" e "a aplicação da lei foi militarizada" em consequência das políticas de combate às drogas.

"E em troca disso tudo, a Guerra às Drogas não impediu que as pessoas usassem drogas ou que as drogas cruzassem fronteiras para serem vendidas nas ruas", argumenta o cantor.

Críticas
As declarações de Sting provocaram críticas de grupos que apoiam a criminalização das drogas.

"Não precisamos que pop stars cheguem e façam declarações irresponsáveis como essa", afirmou um porta-voz do grupo internacional Dare (Drug Abuse Resistance Education), que se dedica a educar estudantes sobre os perigos do uso de drogas.

"Ele deveria se limitar a cantar e não se meter em assuntos sobre os quais ele não entende", afirmou.

http://g1.globo.com

Kassab veta projeto de lei que limita horário de jogos na cidade de São Paulo


Decisão foi divulgada pela prefeitura nesta quinta. Câmara Municipal aprovou proposta no dia 10.
Do G1São Paulo
Tamanho da letra
O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM) vetou nesta quinta-feira (1º) o projeto de lei 564/06, da Câmara Municipal, que limita o final das partidas de futebol em estádios do município às 23h15. O projeto foi aprovado no último dia 10, por 43 votos a favor, 2 contra e 3 abstenções.

Caso o projeto fosse sancionado, as partidas de futebol no município de São Paulo teriam de começar no máximo às 21h15.

O texto estabelece exceções ao limite de tempo apenas em jogos da Libertadores da América, em competições não profissionais e nas partidas de futebol profissional em que que houver cobrança de pênaltis e acréscimos provocados por problemas técnicos.

Nas razões do veto, a Procuradoria Geral do Município, afirma que "a matéria relativa ao desporto deve ser de competência legislativa da União, Estados e Distrito Federal, cabendo ao Município apenas suplementar essas normas na hipótese de configuração de interesse local específico que necessita ser regulamentada, o que não ocorre nesse caso".