Postagem em destaque

COPA DAS ZEBRAS

domingo, 9 de maio de 2010

Dois poemas pra minha mãe querida


1 – Mamãe,
Queria tentar explicar
como é meu amor por ti.
Acontece que meras palavras
não dizem o que eu senti.
Talvez seja como cores
que alegram cada segundo.
Talvez sejam como flores
que encantam a todo o mundo.
Às vezes, é história
Texto, poema ou poesia;
às vezes é como o sol
que ilumina os meus dias.
Pode ser um doce
que faz a gente sorrir.
Pode ser um sonho
que alegra o meu dormir.
Como dizer uma coisa
Que não tem explicação?
A certeza é que você mora
dentro do meu coração.
2 – Mamãe,
Meu amor por você é infinito.
Maior que o maior dos oceanos,
maior que a vista pode alcançar,
maior que o céu e suas estrelas,
maior que o sol a brilhar.
É um sentimento tão grande
que números não podem representar.
É um sentimento tão puro,
que nada pode me tirar.
É um sentimento tão lindo
que ofusca a quem quer avistar.
É um sentimento tão meigo
que faz a gente chorar.
Mamãe querida,
nunca vou deixar de te amar!



Por Ana Luísa Melgaço Almeida