Postagem em destaque

MANÉ GARRINCHA

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Músico gaúcho processado por rap que critica aumento de deputados


Um músico gaúcho está sendo processado por ter criticado o reajuste de salário dos deputados estaduais do Rio Grande do Sul.

Tonho Crocco, que já foi da banda Ultramen e hoje segue carreira solo, está sendo acionado por causa de seu rap “Gangue da Matriz”. A “gangue” no caso são 36 parlamentares que concederam aumento de 73% a si mesmos em dezembro do ano passado (apenas 11 do PT e um do PTB votaram contra)

A música motivou o deputado Giovanni Cherini (PDT) a enviar uma representação ao Ministério Público por “crime contra a honra”. De acordo com matéria do site Sul 21, o deputado expressou “insurgência contra a manifestação espúria de Antonio Crocco, que enseja o presente pedido de providências ao Ministério Público Estadual”.
O deputado nega o processo: “Não estou processando ele, deve ter havido algum erro. Vou procurar me informar”, disse ao Sul 21. Cherini é ex-presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul.

Mais tarde, no Twitter, postou: “Não ingressei com ação contra Tonho Crocco. Como presidente, ofereci representação ao MP para que, havendo ilicitude, tomasse providências”.

Crocco garante que isso não é verdade. “Eu confirmei que não é uma ação da Assembleia, é uma ação pessoal, movida pelo deputado me acusando de crime contra a honra”, declarou o músico ao Sul 21.

O músico se preocupa, com razão, com o perigoso precedente que pode ser criado caso a ação seja bem-sucedida. Em seu blog, Crocco questiona: “Não seria esta ação uma forma de censura à liberdade de expressão? Não estaria o excelentíssimo Deputado ou a quem ele representou agindo de forma truculenta? Estaríamos retrocedendo aos tempos da ditadura? Será mesmo que estamos numa democracia?”
Ouça abaixo “Gangue da Matriz”:

Olha isso é coisa de politico mesmo, o Brasil tem que ficar ligado nos péssimos politicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário